segunda-feira, 15 de setembro de 2014

LIÇÃO 3 - 1° Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

ORIENTAÇÕES BÍBLICAS AO MARIDOS

TEXTO BÍBLICO BÁSICO

Efésios 5.25-31

25- Vós maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela,
26- para santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
27- para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
28- Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama-se a si mesmo.
29- Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
30- porque somos membros de seu corpo.
31- Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne.

1 Pedro 3.7

7 - Igualmente vós, maridos  coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações.

INTRODUÇÃO

          Em qualquer instituição, grupo ou setor da sociedade, as pessoas precisam cumprir papéis previamente estabelecidos. Se cada indivíduo obtiver êxito ao exercer suas responsabilidades, a organização da qual faz parte, com certeza, será beneficiada. Assim também acontece no casamento. O marido que cumpre as orientações dadas por Deus consegue construir uma família abençoada e estruturada.

1. PAPEL DO HOMEM

           De um modo geral, podemos afirmar que o homem é mais lógico e racional do que a mulher. O papel social dele, designado por Deus em Gênesis 2.15, é o de proteger, prover e liderar. O Senhor o capacitou para lavrar o jardim do Éden, cuidar dele e protegê-lo. Todas as regras lhe foram dadas pelo Criador. Por isso, após a queda, Deus não cobrou tais responsabilidades diretamente da mulher, mas, sim, do homem.



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

1 pedro 1.23

REFLEXÃO

Vocês foram regenerados, não de uma semente perecível, mas imperecível, por meio da Palavra de Deus, viva e permanente.

     Somos livres para amar ou não a Deus. Ele nos convida a amá-lo. Ele nos exorta a amá-lo. Mas, no final a escolha é minha e sua. Se tirasse essa escolha de cada um de nós, se ele nos forçasse a amá-lo, não seria amor...
     Ele deixa essa escolha pra nós... 

domingo, 7 de setembro de 2014

LIÇÃO 2 - 4º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

SEGREDOS PARA MANTER A FAMÍLIA ESTRUTURADA

1. Deixe Jesus ser o Senhor de sua família

     
   Muitas famílias já receberam Jesus como Salvador, mas não permitiram a Ele ser o Senhor delas. O principal segredo para manter o lar estruturado é ceder a Cristo o senhorio da família.


2. Vença a indecisão

 
         A história de Rute traz um ensinamento precioso em relação à tomada de decisão. Depois que resolveu seguir sua sogra, Rute não deu lugar à dúvida em seu coração. Ela foi até o fim em seu propósito, e o Senhor a honrou. Quando vencemos a indecisão, provamos ao Senhor que confiamos plenamente nele para cuidar das necessidades de nossa família.

3. Reaja a circunstâncias difíceis

       Não fique parado esperando a solução para os problemas de sua família. Reaja! Busque a direção do Senhor, ore, jejue, leia a Bíblia. Rute não ficou lamentando-se em casa. Ela passou a trabalhar, indo ao campo para apanhar espigas, e proveu o seu sustento e de sua sogra (Rt 2.2). Depois disso, Deus trouxe a resposta que a família delas precisava.

4. Cuide dos seus

         
   O cuidado de Rute com sua sogra e o cuidado de Boaz com a família de seu parente falecido nos inspiram e ensinam como devemos agir socialmente. Esse cuidado com a família é recomendado pelo apóstolo Paulo em sua primeira carta a Timóteo, na qual somos orientados a colocar em prática a compaixão e a misericórdia em favor dos nossos familiares, retribuindo o bem recebido de nossos pais, avós e parentes (1 Tm 5.4,8).

sábado, 6 de setembro de 2014

Romanos 8:1

REFLEXÃO

Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Jesus... em nós, que não vivemos segundo a nossa carne, mas segundo o Espírito.

A palavra de Deus diz "Há uma condenação limitada para aqueles que estão em Cristo Jesus?" Não. Ela fala: "Há alguma condenação?" Não. o que diz é: "Não há nenhuma condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus." Pense nisso - independente do nosso pecado, não somos mais culpados!

MAX LUCADO!

domingo, 31 de agosto de 2014

LIÇÃO 2 - 3º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

SITUAÇÕES QUE LEVAM A FAMÍLIA A DESESTRUTURAR-SE

1. Quando Jesus não é a base da família

         Vimos até aqui alguns exemplos retirados da história de Rute. Naquela época, Jesus ainda não tinha vindo ao mundo para morrer por nossos pecados. O povo de Israel, uma nação santa e separada para o Senhor, adorava o Deus de Abraão, de Israel e de Jacó. Com a família de Noemi, não era diferente.
          Como é importante ter o Senhor como alicerce de nossa família! Em um momento de necessidade, Noemi recebeu ajuda de Deus e pôde viver em família novamente. Hoje, o lar que não tem Jesus corre o risco de desestruturar-se, pois Ele é quem nos liberta e restaura, transformando qualquer situação difícil que nossa família estiver vivendo.

2. Quando ocorre uma fatalidade

           Uma fatalidade aconteceu na vida de Rute. De uma hora para outra, ela ficou viúva, sem provisão, teve de deixar sua terra e passar a viver em meio a um povo de cultura diferente. Em nossa vida, as fatalidades podem ocorrer. A verdade, entretanto, é que nunca esperamos por elas. É por esse motivo que muitas famílias, principalmente as que não creem no Senhor Jesus, acabam desintegrando-se quando precisam enfrentar algo inesperado.

3. Quando o egoísmo se instala no lar

           O egoísmo precisa ser arrancado de nosso lar, se não quisermos que este seja abalado. Quando colocamos nossos interesses em segundo plano, considerando as necessidades dos outros, nossa ligação com Jesus se estreita, e o egoísmo não encontra lugar em nossa casa.
           A família de Noemi só pôde ser restabelecida porque Rute poderia ter reconstruído sua vida com outro marido em sua própria terra. Ela poderia ter deixado a sua sogra partir sozinha. Todavia, não foi isso que ela fez. Em uma atitude de abnegação, Rute acompanhou sua sogra, assumindo o povo e o Deus dela (Rt 1.16,17).

domingo, 24 de agosto de 2014

LIÇÃO 2 - 2º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

AS CONSEQUÊNCIAS DE UMA SOCIEDADE SEM BASE FAMILIAR

1. A falta de modelos a serem seguidos

     
 
    A sociedade sem a família como base não tem bons e variados modelos em que se apoiar. Diante das adversidades da vida, todos precisam dos conselhos e do exemplo de uma pessoa mais experiente. É no lar cristão que somos preparados por Deus para as lutas do dia a dia e moldados por Ele a fim de resplandecer a luz de Cristo diante dos homens (Mt 5.16).
        Na história de Rute, por exemplo, vemos que ela experimentou a dor da viuvez e da falta de provisão material. Nesse momento de extrema necessidade, a companhia de Noemi, que  também havia perdido o marido e os filhos, proporcionou consolo, direção e orientação à Rute, servindo-lhe de guia e modelo em um momento tão difícil como aquele que viviam.


2. A falta de vínculos afetivos

   
      Nas sociedades em que a família tradicional não é valorizada, as pessoas sofrem pela falta de vínculos afetivos ou por vínculos doentios. Um exemplo desse tipo de vínculo familiar pode ser visto entre Noemi e suas noras (Rt 1.14). Quando temos um lar, podemos desfrutar de uma comunhão verdadeira, dar e receber afeto, atenção e conselhos. viver sem desfrutar dos estreitos e ricos laços familiares é privar o ser humano de algo primordial à sua felicidade e ao seu bem-estar.

3. A falta de raízes

       
  Quando crescemos em um lar estruturado, mesmo depois de passar muito tempo longe de nossas raízes, nós temos para onde voltar. Foi assim com Noemi. Depois de perder seu marido e seus filhos, ela teve para onde retornar a fim de reconstruir sua vida (Rt 1.6,19). Naquela época, jesus ainda não tinha vindo ao mundo para morrer por nossos pecados. O povo de Israel, uma nação santa e separada para o Senhor, adorava o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Com a família de Noemi, não era diferente.
          Como é importante ter o Senhor como alicerce de nossa família! Em um momento de necessidade, Noemi recebeu ajuda de Deus e pôde viver em família novamente. Hoje, o lar que não tem Jesus corre o risco de desestruturar-se, pois Ele é quem nos liberta e restaura, transformando qualquer situação difícil que nossa família estiver vivendo.
          

sábado, 23 de agosto de 2014

Efésios 5:27

REFLEXÃO

E para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa... santa e inculpável.

                   A partir da nossa perspectiva, a vida na igreja não parece tão bonita. Vemos as fofocas, as disputas, as divisões. O céu vê tudo isso, também. Mais o céu vê mais. O céu vê a igreja como limpa e santificada por Cristo.
              O céu vê a igreja ascendendo ao céu. O céu vê a Noiva usando o vestido impecável de Jesus Cristo.

MAX LUCADO!

terça-feira, 19 de agosto de 2014

João 9:15

REFLEXÃO

Ele colocou uma mistura de terra e saliva em meus olhos, eu me lavei e agora vejo.

          Não são as circunstâncias que importam; é Deus dentro da circunstância. Não são as palavras; é Deus as falando. Não é a lama que curou os olhos do cego; foi o dedo de Deus na lama. O berço e a cruz eram comuns como a grama. O que as tornou sagradas foi aquele que se deitou nelas.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Mateus 22:42

REFLEXÃO

O que vocês pensam a respeito do Cristo?

           A ideia que uma virgem pudesse ser escolhida por Deus para dar a luz a ele... A noção de que Deus poderia ter cabelos e dedos e dois olhos.
            A ideia de que o Rei do universo iria espirrar e arrotar e ser picado por mosquitos... É muito incrível. Muito revolucionário. Nunca criaríamos um Salvador assim. Não seríamos tão ousados.

MAX LUCADO!

domingo, 17 de agosto de 2014

LIÇÃO 2 - 1º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

FAMÍLIA, BASE DA SOCIEDADE

Família


TEXTO BÍBLICO BÁSICO ( Rute 4.9-11,13,14)



9- Então, Boaz disse aos anciãos e a todo o povo: Sois, hoje, testemunhas de que tomei tudo quanto foi de Elimeleque, e de Quilion, e de Malom da mão de Noemi;10- e de que também tomo por mulher a Rute, a moabita, que foi mulher de Malom, para suscitar o nome do falecido não seja desarraigado dentre seus irmãos e da porta do seu lugar; disto sois hoje testemunhas.11- E todo o povo que estava na porta e os anciãos disseram: Somos testemunhas; o SENHOR faça a esta mulher, que entra na tua casa, como a Raquel e como a Léia, que ambas edificaram a casa de israel; e há-te já valorosamente em Efrata e faze-te nome afamado em Belém.13- Assim, tomou Boaz a Rute, e ela lhe foi por mulher; e ele entrou a ela, e o SENHOR lhe deu conceição, e ela teve um filho.14- Então, as mulheres disseram a Noemi: Bendito seja o SENHOR, que não deixou, hoje, de te dar remidor, e seja o seu nome afamado em Israel.


A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA PARA A SOCIEDADE

1.1. A família molda o caráter dos indivíduos

 
         Ninguém consegue ter o seu caráter moldado vivendo isolado de outras pessoas. Não podemos provar a virtude de alguém tendo com ele apenas um relacionamento por meio de cartas e e-mails. Crescimento e maturidade só são alcançados com interação interpessoal, por meio de relacionamentos verdadeiros, isso tudo começa na família



1.2. A família ensina o valor da aliança

         Hoje em dia, muitas pessoas desenvolvem relacionamentos de curto prazo. Os laços que as unem são frágeis e desfazem-se por qualquer motivo. No lar, porém, os vínculos são fortalecidos, formando, assim, indivíduos capazes de estabelecer relações baseadas em aliança e compromisso duradouro.
          Após a morte de seu marido, Rute se aliançou com Noemi, sua sogra (Rt 1.16,17). A base familiar que Rute teve anteriormente lhe deu maturidade para construir novos relacionamentos estáveis e firmados em aliança.

1.3. A família dá segurança

         Boaz, um dos personagens principais no livro de Rute, era um homem afetuoso, rico e conhecedor dos seus direitos. Como parente de Elimeleque, o falecido esposo de Noemi, Boaz era um dos possíveis remidores da família (Rt 2.20). Ele poderia casar-se com Rute e assegurar-lhe proteção, cuidado e uma descendência.
          Em uma época em que a mulher, devido à sua condição social, dependia do pai, do esposo, do irmão ou do seus senhor, esse direito à remissão era uma forma de proporcionar segurança a ela. Na sociedade atual, a família, além de garantir segurança aos seus membros, é de extrema importância na resolução de questões legais e fornece, de acordo com o propósito de Deus, uma ajuda recíproca em tempos de adversidade.

domingo, 10 de agosto de 2014

LIÇÃO 1 - 4º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

FAMÍLIA UM PROJETO DE DEUS


4-) BASES PARA CONSTRUIR UM FAMÍLIA SEGUNDO O PLANO DE DEUS

4.1. A direção de Deus em sua Palavra

           Para construirmos uma família que agrade ao Senhor, não existe fórmula mágica. A única maneira é termos uma vida pautada na Palavra de Deus. Só assim o nosso lar será feliz. (Sl 1.1,2).

4.2. Resposta à oração

       Outra atitude que precisamos ter como base para nossa família é a oração. Além de ler e estudar as Escrituras, de não andar em más companhias e de estar sempre na presença de Deus, devemos orar e jejuar, pois essas são as ferramentas que o Senhor nos deu a fim de consagrarmo-nos a Ele e entendermos melhor Suas orientações para nossa família.

4.3. Sucesso pela obediência a Deus

       A obediência a Deus é primordial para a construção de um família conforme os Seus propósitos. Nosso esforço por obedecer a Deus e aos princípios que Ele estabeleceu definirá que tipo de família nós construiremos (1 Sm 15.22).


CONCLUSÃO

       Por ser um projeto do próprio Deus, a família tem garantia de
sucesso, se a estabelecermos segundo Sua vontade e o direcionamento dado por Ele. Somente um lar edificado na Rocha, Jesus Cristo, consegue viver tudo aquilo que o Senhor sonhou para ele.
      Que a sua família redunde em bênçãos para seus descendentes, para a Igreja do Senhor e para a sociedade como um todo!

domingo, 3 de agosto de 2014

LIÇÃO 1 - 3° Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

FAMÍLIA UM PROJETO DE DEUS


3-) PROPÓSITOS DE DEUS PARA A FAMÍLIA

3.1. Suprir a necessidade de afeto

       O Senhor estabeleceu a família a fim de suprir a necessidade que o ser humano tem de dar e de receber amor. Essa preocupação de Deus foi demonstrada quando Ele se propôs a providenciar uma companheira para o homem (Gn 2.18).


3.2. Prover segurança


     
     A família propicia ao ser humano condições favoráveis para ele enfrentar as crises e as adversidades da vida, suportar níveis altos de angústia e crescer em todos os âmbitos. É extremamente importante, por exemplo, que, ao chegarem ao seu lar, depois de um dia cansativo de trabalho ou de estudo, as pessoas encontrem um ambiente de serenidade, equilíbrio e segurança, onde possam sentir-se amadas e protegidas.

3.3. Desenvolver maturidade

 
    As experiências vivenciadas na família contribuem para o
indivíduo atingir a maturidade. O papel dos pais como exemplos de vida e agentes da interação familiar é essencial ao cumprimento desse propósito. Eles só conseguirão forjar o caráter dos filhos e prepará-los para a vida se tiverem Deus como Senhor e usarem, como sabedoria, a autoridade que Deus lhe deu.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

REFLEXÃO


QUANTO VALE O SEU TEMPO?

FILHO: Pai posso fazer uma pergunta?
PAI: Sim, claro, o que é?
FILHO: Pai quanto você ganha em 1 hora?
PAI: Isso não é da sua conta, por que você pergunta uma coisa dessas?
FILHO: Eu só quero saber. Por favor me diga, quanto você ganha em 1 hora?
PAI: Se você quer saber eu ganho R$100 por hora.
FILHO: Oh (com a cabeça para baixo). Pai, posso pedir por favor R$ 50?
         E o pai se enfurece.
PAI: A única razão pela qual me perguntou é essa, para conseguir algum dinheiro e comprar mais um brinquedo ou alguma outra coisa sem sentido? Vá direto para o seu quarto, para sua cama e pense o porque está sendo tão egoísta. Eu trabalhando duro todos os dias para ver tal comportamento infantil.
         O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta. O homem sentou e começou a ficar mais nervoso sobre as questões do menino. Como ele ousa fazer tais perguntas só para conseguir algum dinheiro?
          Depois de cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar: Talvez houvesse algo que ele realmente precisasse comprar com esses R$50 e ele realmente não pedia o dinheiro com muita frequência. O homem foi até a porta do quarto do menino e abriu a porta.
PAI: Você está dormindo meu filho?
FILHO:  Não pai, estou acordado.
PAI: Eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você antes. Tive em longo dia e não deveria ter descontado meu stress em você. Aqui estão os R$50,00 que você pediu.
FILHO: Oh, obrigado pai!
         Então do seu travesseiro ele puxou alguns trocados amassados.
         O homem viu que o menino já tinha algum dinheiro, começou a se enfurecer novamente. O menino lentamente contou o seu dinheiro e em seguida olhou para seu pai.
PAI: Por que você quer mais dinheiro se você já tem?
FILHO: Porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho.
          Papai, eu tenho R$100,00 agora. Posso comprar uma hora do seu tempo? Por favor, venha pra casa amanhã cedo. Gostaria de jantar com você.
       
       O pai foi esmagado. Ele colocou os braços em volta do seu filho e pediu o seu perdão. Isso é apenas uma pequena lembrança a todos vocês que trabalham arduamente na vida.

         Não devemos deixar o tempo passar através de nossos olhos sem ter passado algum tempo com aqueles que realmente importam para nós, perto de nossos corações.
         A empresa que trabalhamos poderá facilmente substituir-nos em uma questão de dias. Mas a família e amigos que deixamos para trás irão sentir essa perda para o resto de suas vidas.

domingo, 27 de julho de 2014

LIÇÃO 1 - 2º Encontro - Família Cristã (Vínculos do Amor)

FAMÍLIA UM PROJETO DE DEUS


2-) CONSEQUÊNCIAS DO PECADO PARA A FAMÍLIA


2.1. A ruptura dos vínculos familiares


       Por causa do pecado, a família tem passado por triste

mudanças. Os sentimentos positivos de amor, aceitação, acolhimento e incentivo - que permitem aos familiares ter saúde emocional e crescer em todos os aspectos do ser - têm dado lugar a sentimentos negativos de ódio, inveja, depreciação e competição - que levam a dissolução dos vínculos afetivos e à desagregação familiar, atrapalhando o projeto de Deus para o ser humano por meio da família. Isso pode ser visto desde as primeiras famílias (Gn 4.1-16)



2.2. A desagregação familiar

       A desagregação familiar acontece quando o pecado já o instalou totalmente no lar. Depois disso, as consequências começam a manifestar-se, irmãos começam a brigar. Se isso culminar na decisão do casal de separar-se, a família toda pode desintegrar-se.

domingo, 20 de julho de 2014

LICÃO 01 - 1° Encontro - Família Cristã (vínculos do Amor)

FAMÍLIA, UM PROJETO DE DEUS


TEXTO BÍBLICO BÁSICO (Gênesis 2.18-24)



18. E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.
19. Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todo animal do campo e toda a alma vivente, isso foi o seu nome.
20. E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo animal do campo; mas para o homem não se achava adjutora que estivesse como diante dele.
21. Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu;  e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar.
22. E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe a Adão.
23. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.
24. Portanto, deixará o varão o seu pai e sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.

TEXTO ÁUREO
Deus faz que o solitário viva em família (Salmo 68.6a)

INTRODUÇÃO

A família é o grande projeto de Deus para o ser humano. É nela que homem e mulher - na condição de macho e fêmea, conforme foram criados por Deus - têm suas necessidades físicas e psicológicas de amor e companheirismo satisfeitas. É nela que eles se realizam ao desenvolverem suas aptidões de desempenharem os papéis que lhes foram atribuídos por Deus. Na família, homem e mulher podem interagir como casal, contribuindo para o suporte emocional e o crescimento um do outro, bem como gerar filhos e proporcionar-lhes a oportunidade de aprender a amar e a relacionar-se com as outras pessoas.

1-) A ORIGEM DA FAMÍLIA

Muitas famílias têm vivido aquém do projeto original de Deus. Contudo, ainda há tempo de restaurar os vínculos do amor em nosso lar. Vejamos, então, como tudo começou.

1.1. A primeira família criada por Deus

Quando falamos sobre família, logo pensamos em casamento, pois, é com essa união estável e legal que uma nova família tem início. O projeto original de Deus para a família começou em Adão e Eva, o primeiro casal da humanidade.
Depois de formar a mulher da "costela" que tomou de Adão, o Senhor a levou até seu futuro esposo. Este, então, declarou: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada (Gn 2.23).
A partir desse momento, as Escrituras registram a maneira como a união entre o homem e a mulher é vista aos olhos de Deus: Portanto, deixará o varão o seu pai e sua mãe e apergar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne (Gn 2.24). Ou seja, no ato do casamento, o homem e sua esposa passam a ser considerados, por Deus, uma só carne; uma unidade em que há amor, cumplicidade, objetivos e propósitos comuns.
A união entre homem e mulher possibilitou o cumprimento da ordenança que o Senhor deu a Adão e Eva: E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a (Gn 1.28a).
Os filhos, portanto, são o fruto de uma aliança de amor instituída pelo próprio Deus.

1.2. Família, plano de Deus para o homem

Os planos de Deus são perfeitos. Quando Ele estabeleceu a família, Seu propósito era criar um refúgio no qual homem e mulher vivessem em harmonia e paz. O Senhor projetou o lar para que as pessoas tivessem um lugar onde pudessem desenvolver-se plenamente.


segunda-feira, 23 de junho de 2014

O PRINCÍPIO DA TROCA DE PAPÉIS

EM VEZ DE COLOCAR CADA PESSOA EM SEU LUGAR, DEVEMOS NOS COLOCAR NO LUGAR DELAS

As vezes quando compartilha um pouco de seu raciocínio com alguém, você muda o seu próprio raciocínio.

A PERGUNTA QUE DEVO FAZER PRA MIM MESMO: TENTO VER AS COISAS A A PARTIR DO PONTO DE VISTA DAS OUTRAS PESSOAS?

O sucesso pode proporcionar várias coisas: poder, privilégio, fama e riqueza. Mas não importa o que mais promove, junto com ela chega a necessidade de optar. A maneira de fazer escolhas revela nosso caráter. Pessoas prósperas podem usar seus recursos em benefício de outras pessoas ou apenas de si mesmas. Gente famosa pode usar sua notoriedade para projetar um caráter modelar ou servir a si mesma de maneira egoísta. Líderes podem tomar decisões que influenciem os outros de forma positiva ou negativa. Eles é quem decidem.

A TENDÊNCIA NATURAL NÃO É DE VERMOS A NÓS MESMOS E AOS OUTROS A PARTIR DA MESMA PERSPECTIVA.

Não olhamos para os outros da mesma maneira que olhamos para nós. As pessoas naturalmente se vêem à luz de sua intenções, mas avaliam os outros de acordo com suas ações. "Nós não julgamos pelo que nos sentimos capazes de fazer, enquanto os outros nos julgam pelo que já fizemos."
Por natureza,  tentamos nos ver de maneira mais positiva possível. E não há problema algum nisso, desde que sejamos honestos. Mas deveríamos dar aos outros o mesmo benefício de dúvida que damos a nós mesmos.

QUANDO NÃO CONSEGUIMOS VER AS COISAS A PARTIR DA PERSPECTIVA DOS OUTROS, FRACASSAMOS EM NOSSOS RELACIONAMENTOS.

Boa parte do conflito pelo qual passamos nos relacionamentos é resultado da nossa incapacidade de ver as coisas a partir da perspectiva dos outros, como a piada a ser ilustrada. Um homem num balão de ar quente percebe que se perdeu. Reduz altitude e vê uma mulher logo abaixo. Desce um pouco mais e grita:
- Com licença, pode me ajudar? Prometi a um amigo que o encontraria a uma hora, mas não sei onde estou.
- Você está num balão de ar quente - respondeu ela -, aproximadamente 9 mts acima do solo. Está entre 40 e 41 graus de latitude norte entre 50 e 60 graus de longitude oeste.
- Você deve ser engenheira - arrisca o balonista
- Sou sim - confirmou a mulher - como você sabia?
- Bem explicou ele -, tudo que você me disse está tecnicamente correto, mas não tenho idéia do que fazer com a sua informação, o fato é que ainda estou perdido. Francamente, você não me ajudou muito. Na verdade, ainda atrasou minha viagem.
- Você deve trabalhar com administração - comentou ela.
- Sim, trabalho, mas como você descobriu?
- Bem - continuou ela -, você não sabe onde está ou para onde vai. Chegou no ponto mais alto, mas não está com essa bola toda. Fez uma promessa sem ter qualquer idéia de como fazer para cumprí-la, e espera  que as pessoas abaixo de você resolva os seus problemas. O fato é que você está exatamente na mesma posição de antes de nos encontrarmos, mas agora, de alguma forma, deu um jeito de colocar a culpa em mim.
Com que frequência você já flagrou numa situação de conflito com outra pessoa porque enxerga as coisas de uma maneira e ela vê diferentemente? Pense nisso. Se é casado ou casada, você não vê o tempo todo diante de conflitos em potencial por causa da maneira como os homens e as mulheres naturalmente veem as coisas de formas diferentes? Se tem filhos, já percebeu como a boa parte das brigas acontecem porque eles não veem as coisas da mesma maneira que você vê?

COMO TROCAR DE PAPEIS

Como você faz para trocar de lugar, para ver as coisas a partir do ponto de vista de outra pessoa? Comece fazendo quatros coisas:
1 - Deixe o seu território e visite o território dos outros.
2- Admita que o ponto de vista dos outros pode ser interessante.
3- Examine sua atitude.
4- Pergunte aos outros o que fariam em sua situação.


domingo, 22 de junho de 2014

PACIÊNCIA

"E na vossa paciência que ganhareis as vossas almas"(Lucas 21:19)


Provavelmente, esta seja a virtude que mais necessitamos para tocar a vida num mundo como o nosso , no qual a iniquidade tem se multiplicado mais do que em qualquer outra época da história da humanidade. Sem paciência não poderemos preservar a paz de Cristo em nossos corações.
Todavia, não necessitamos da paciência apenas para suportar as cargas exteriores do mundo que nos atingem, mas sobretudo, porque, sem paciência, não pode haver renúncia verdadeira, nem verdadeira submissão à vontade de Deus na adversidade, nem contentamento em toda e qualquer situação, nem gratidão por cada misericórdia recebida.
Como poderíamos permanecer na presença de Deus a não ser por aprendermos a ser pacientes nas aflições? E aflições são para serem esperadas, especialmente por aqueles que pretenderem seguir fielmente a Jesus, conforme ele mesmo nos alertou quanto a isto, e pela comprovação desta realidade na experiência dos cristãos fiéis.
Daí, a exortação para sermos "pacientes na tribulação"(Rom 12:12), porque isto conduzirá ao fortalecimento da fé e ao aperfeiçoamento espiritual, sobre tudo no que respeita a um maior conhecimento da vontade e do poder de Deus para nos guardar e livrar.
Por conseguinte, ainda haja este aumento progressivo da iniquidade do mundo, todavia, isto não é contra nós mas por nós, uma vez que contribui para o nosso aperfeiçoamento na paciência cristã, e para obtermos os frutos aos quais ela conduz.
O exercício da paciência reside portanto, em suportar censura e perseguição por causa de Cristo e do seu evangelho, e os que querem viver piedosamente em Cristo devem esperar essas coisas, uma vez que foram preordenadas por Deus em seu conselho eterno, para ser o meio de aperfeiçoamento dos santos.

sábado, 21 de junho de 2014

BUSQUE TER EMPATIA

Tente se colocar no lugar da outra pessoa, buscando entender seus sentimentos e desejos, para que assim, você possa ajudá-la de alguma forma. Digo isso, porque muitas das vezes, somos egoístas e somente vemos o nosso lado, neglicenciando os problemas da outra parte, sendo assim, devemos otimizar nossas habilidades de sentir e perceber o nosso próximo.

BUSQUE PERDOAR AS PESSOAS

Somos seres muito diferente uns dos outros, portanto, é natural que haja atritos, divergências e desgastes em um relacionamento. A questão é a seguinte: Como você administra esses conflitos? O segredo é olvidar, pois, é preciso aceitar que algumas pessoas irão nos machucar de vez em quando, mas, por acreditarmos nelas, devemos praticar o ato de perdão.


sexta-feira, 20 de junho de 2014

EDUCAÇÃO DE FILHOS À MANEIRA DE DEUS (PARTE 7)

OS EXTREMOS DA PATERNIDADE

A - O pai permissivo olha o pai autoritário e diz: "Não quero ser igual àquela mãe ou pai. Eles são muito severos!".

B - O pai autoritário olha o lar permissivo e diz: "Não quero filhos que ajam assim. Eles são fora de controle!".

C - Infelizmente,a tendência dos pais é ir a esses extremos. O pai permissivo que controla muito pouco, o pai autoritário que controla demais, privam seus filhos das habilidades básicas, necessárias para uma adolescência saudável. Examinaremos mais de perto cada estilo de paternidade.

D - Paternidade Autoritária

1) A paternidade autoritária foi o padrão dos primeiros sessenta anos desse século e estava mais intimamente associada à ética judaica/cristã.

a)A excessiva preocupação com a restrição do mal, concedeu pouca atenção à prática do bem.
b) Havia uma ênfase sobre o que as crianças não deveriam fazer em relação ao que deveriam fazer.
c) A paternidade restritiva resultou na atitude de que fazer, os fins justificam os meios ou que, alguém pode fazer qualquer coisa para seguir as regras da sociedade.

2) Embora as crianças em geral, se conformassem e praticassem ações virtuosas, elas os faziam por meio de repreensão ou não, por amor ao bem. A criança ouvia : ou... você faz isso, ou...". O "ou..." tornou-se a motivação para o comportamento correto e não um princípio presente no coração.

E - Paternidade Permissiva

 

1) A paternidade permissiva não está preocupada em suprimir o mal e elevar o bem. No centro dessa teoria, a preocupação está na criança do ambiente adequado para a criança e não, nas consequências do comportamento.

2) Para os pais permissivos, a educação de filhos se resume em evitar todas as emoções, negativa e procurar apenas as positivas.a) Assim, o treinamento de certo ou errado é medido pelo sentimento da criança e não pelo produto final - o comportamento dela.

b) Os sentimentos, tanto dos pais como dos filhos tornam-se a base para a educação e sua ética.
c) Se a criança se sente feliz, o pai fica satisfeito. Se a criança se sente triste, então o pai se esforça para criar um ambiente onde a tristeza é eliminada.


3) Cremos que tanto     os estilos de paternidades permissivo, como a autoritária são erradas e prejudiciais ao bem estar da criança. É por isso, que nos esforçamos para guiar os pais, de acordo com as regras básicas da ética bíblica.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

EDUCAÇÃO DOS FILHOS À MANEIRA DE DEUS (PARTE 6)

O FATOR PATERNO

A - Como você foi educado? Refletir no passado, de vez em quando, pode ajudar e esclarecer o presente.

B - Todos ouvimos e talvez você tenha dito para si mesmo:

1)Quando me tornar pai (mãe), não farei isso aos meus filhos".
2) "Quando se tornar pai (mãe), vou fazer... com os meus filhos".

C - Como essas promessas pessoais influenciam na maneira como você educa seus filhos?

1) Infelizmente, muitos pais educam seus filhos em reação aos seus próprios temores de infância, conflitos e decepções não resolvidas.

2) Como resultado, às vezes, são pais de seu próprio passado, mais do que de seus filhos.

 3) Fazem isso projetando seus temores e desilusão da vida, sobre seus filhos. Eles criam estratégias, que se ajuntem, confortavelmente, à fonte de sua dor.
a) Se os anos de crescimento foram agradáveis, há uma forte tendência, de empregar técnicas de treinamento semelhantes, às quais, você fora educado. 
b) Se, a infância e adolescência foram estressante, há tendência é voltar-se para o extremo oposto dos métodos de educação de seus pais, ao educar seus filhos.

4) Os pais que tiveram uma educação injusta, restritiva ou que até mesmo, métodos abusivos foram usados, frequentemente, sem perceberem, se movem para a paternidade permissiva e permitem que seus filhos se tornem auto-orientados.
a) Esses pais, de muitas maneiras, se tornam mais preocupados com os sentimentos dos filhos, do que com suas ações.
b) Valorizam mais a saúde psicológica do que a saúde moral e, qualquer padrão de certo ou errado foca sujeito a, como os filhos se sentem e não, sobre o que eles fazem.

5) Quando os pais sentem que a infância infeliz foi decorrente de uma educação permissiva, frequentemente, tornam-se muito rígidos, especialmente se, sentem que a falta de direção foi prejudicial.
a) Aqueles que viveram uma vida moralmente relaxada na juventude irão frequentemente contrabalançar os filhos tornando-se super-protetores, abrigando-os em excesso.
b) Esses pais encontram sua segurança ao controlar.

6) Pais permissivos ou centralizados no filho temem inibir a criança, por isso vão ao extremo, criando um ambiente de liberdade desenfreada. Isso resultado, em uma criança sem controle.

7) Pais autoritários temem mimar o filho, assim vêem a salvação no poder das regras e limitações. Os seus métodos produzem normalmente, uma criança sobre controle excessivo.

8) O problema se complica, quando as personalidades e os estilos de paternidade na família entram em choque.
a) Se o pai é calmo e flexível e a mãe é estruturada e, previsível; conflitos são saudáveis tendem a prevalecer em casa e não, uma paternidade equilibrada, como se poderia esperar.
b) Ao invés de ficar mais próximo na maneira de encarar a sua paternidade, esses pois, geralmente se deixam levar a uma maior distanciamento. Isso acontece, porque cada um considera sua obrigação compensar a fraqueza do outro, em nome do amor.
c) Ao invés de complementarem, extraindo forças um do outro, encontram-se em guerra colocando-se um, contra a fraqueza do outro. O resultado? Liderança dividida produz tropas desleais e extremos na paternidade.

terça-feira, 17 de junho de 2014

EDUCAÇÃO DE FILHOS À MANEIRA DE DEUS (PARTE 5)

ONDE SEU FILHO ESTÁ NO PROCESSO?

A - Uma criança, por natureza, é auto-orientada, a ética bíblica e orientada para os outros.

1) A tensão entre as duas é que produz conflito.
2) Isso significa que temos de evitar o conflito retendo a instrução necessária para controlar ou encorajar nossos filhos? Claro que não (Provérbios 23:13).

B - O treinamento nos primeiros anos de vida requer um entendimento básico do que está em andamento na mente em desenvolvimento de seu filho.

1) A vida expande-se rapidamente para as crianças menores, tornando-se mais complexa para as mais velhas.
2) O conflito faz parte normal do aprendizado, mas há períodos maiores e menores de conflito.

C - A medida que o seu mundo se expande, tudo o que a criança experimenta é novo.

1) Ela é confrontada com as ações, normais e padrões de conduta esperadas que, às vezes, entram em conflito com os outros, como também, com suas próprias percepções egocêntricas.
2) Pela primeira vez, experimenta novas situações sociais. Não somente aprende novas regras mas também observa como as pessoas os seguem. Pedem-lhe para repartir, falar gentilmente, ficar na fila, ficar sentado, ser bonzinho.
3) Como há grande ajuntamento social ocorrendo, existem numerosos conflitos. Conflitos esses, que são resultados direto da criança equilibrando sua própria individualidade e o seu desejo de servir a si mesma, com os padrões morais que requerem, que ela se focalize nos outros.
4) Os pais devem esperar conflitos durante esse primeiro estágio e, devem considerá-lo como um tempo de crescimento, tanto dos pais como dos filhos.

D - O conflito é algo natural da personalidade humana.

1) Aprender como resolvê-lo, é um dos requisitos mais importantes para o desenvolvimento de relacionamentos familiares saudáveis.
2) A solução de conflitos também é progressiva. Começa muito cedo e continua à medida que, a vida da criança torna-se mais complexa.
3) Se a criança não aprender, a resolver seus conflitos na infância, possivelmente será muito mais difícil fazê-lo mais tarde.

domingo, 15 de junho de 2014

EDUCAÇÃO DE FILHOS À MANEIRA DE DEUS (PARTE 4)

TREINANDO O CORAÇÃO

A - A consideração básica do início da paternidade é o coração da criança e não simplesmente o comportamento externo.

1) Há algo à respeito do coração humano que requer atenção e esse é o enfoque de treinamento precoce.

2) Sabemos que o coração é o centro de toda a vida e comportamento.
a) O Salmo 139:23, nos diz que aquela porção do homem que Deus vê a sonda.
b) Em Mateus 12:34-35, Jesus disse que todo o comportamento e palavras têm a sua origem no coração.
c) Provérbios 4:23, nos adverte que as impressões de um vida jovem são modeladas no coração e que as fontes da vida procedem dele.
d) Provérbios 6:18 fala da habilidade do coração em planejar projetos iníquos. Provérbios 22:15, nos diz que a estultícia está ligada ao coração da criança.
e) Há algo no coração da criança para o qual os pais necessitam direcionar a sua atenção.

B - O objetivo geral do treinamento do coração, a porção que os pais podem impactar, deve ser ajudar a criança a obter auto-controle.

1) O auto-controle, por sua vez, ajudará a criança a controlar sua língua (Provérbios 13:3; 15:2), as suas ações (Provérbios 14:29), as emoções negativas (Provérbios 25:28) e fazer julgamentos justos (Provérbios 1:3).

2) A disciplina bíblica conduz a criança a uma vida honesta (Provérbios 10:9), não é ofensiva (Provérbios 16:7) e está cheio de atos de justiça (Provérbios 1:3).

3) E o mais importante, os efeitos do ensino bíblico produzem os frutos pacíficos de justiça (Hebreus 12:1).

C - No início da paternidade é necessária uma pressão eterna para produzir um comportamento aceitável, mesmo que a criança ainda não tenha entendimento da razão do comportamento.

1) O fato de uma criança não ter um entendimento moral do porquê, não possa deixar cair, intencionalmente, a comida de sua mesinha, não significa que devamos suspender a instrução a restrição.

2) Há uma razão para isso.
a) Com os adultos, as crenças precedem as ações.
b) Com as crianças o oposto é verdadeira - as ações precedem as crenças. Os pais devem persistir no comportamento correto, muito, muito antes, da criança ser capaz de entender os conceitos morais relacionados.
c) As crianças aprendem primeiramente, como agir moralmente e, depois, como pensar moralmente. "Porque, como imagina em sua alma, assim ele é"(Provérbios 23:7a).

3) Assim, as duas fases do treinamento moral incluem:
a) O desenvolvimento do comportamento moral.
b) O desenvolvimento da razão moral. As ações, para as crianças, vêm primeiro, já o entendimento vem, em seguida.




sábado, 14 de junho de 2014

EDUCAÇÃO DE FILHOS À MANEIRA DE DEUS (PARTE 3)

FUNDAMENTOS (PARTE II)

TRÊS PRESSUPOSIÇÕES E O MODELO BÍBLICO


1) O alvo da paternidade é educar uma criança, pelo caminho da Salvação, que seja moralmente responsável aos princípios bíblicos (Miqueias 6:8).

2) A Bíblia nos oferece detalhes exatos, de como educar os filhos.
     a - É suficiente e tem autoridade, mas não é ampla.
     b - Ela não fala à respeito de cada situação que os pais         enfrentam no dia-a-dia.
     c - Providenciar os princípios morais governando o viver santo, mas não apresenta os passos específicos da educação.

3) Uma vez que o alvo da paternidade é criar um filho moralmente responsável e, que a Bíblia específica como alcançar esse alvo, cremos que todos os princípios, práticas, métodos e teorias de educação dos filhos devam estar de acordo com dois importantes critérios:
     a - Promover o alvo correto de educação dos filhos (Efésios 6:4)
     b - Ser compatíveis com os princípios Bíblicos. Qualquer teoria que destrate, seja contrária ou restrinja a Bíblia, ao criar proibições e afirmações não bíblicas, se apresentará como inadequada.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

FAMÍLIA UM PROJETO DE DEUS

A família começa com o casamento (EX 2:1)


Não existe família abençoada se não houver casamento, este é o primeiro passo para que se tenha uma família feliz e protegida por Deus (Gn 2:24) "Deixará o homem pai e mãe e se uni a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne". Deus olha o casal como sendo um só, já reparou que conforme os anos se passam a gente acaba ficando mais parecido com o nosso cônjuge? Tem vezes que os dois estão pensando a mesma coisa e até falam juntos a mesma frase, e até sentem os mesmos desejos. Casamento é mais do que convívio, é renuncia é você dizer não para os seus defeitos e orgulhar-se das qualidades do companheiro, é pensar mais no outro do que em você mesmo. Casamento não é troca é entrega, é você ficar feliz com a felicidade de seu companheiro.

O QUE DEVO FAZER PARA TER UM CASAMENTO FELIZ?


1) AMAR - Sem Amor não existe casamento feliz

2) RESPEITAR-SE - O respeito fortalece o vínculo

3) DIALOGAR - O relacionamento melhora muito quando se tem um diálogo entre o casal.


A família ideal necessita ter filhos (ex 2:2)
A Bíblia diz que os filhos são herança do Senhor (Sl 127:3-4)
Para a mulher Judia era motivo de vergonha o fato de não poder dar a luz, vemos esse exemplo na vida de Ana que estava chorando tanto que o profeta Eli pensou que estava embriagada (1 Sm 1:14), porém o que ela queria e ter um filho.

COMO DEVEMOS CRIAR OS NOSSOS FILHOS?


1) Ensinando a palavra de Deus (Pv 22:6) "Ensina a criança no caminho que deve andar..."
2) Repreendendo quando fizer algo errado (1 Sm 2:24-25) Hofni e Fineias não foram repreendidos por seu pai quando eram pequenos e pagaram o um preço alto pelos os seus pecados.
3) Sendo exemplo para seus filhos (Fp 4:9) "O que também aprendeste, e recebeste, e ouvistes e vistes em mim; isso praticai e o Deus de paz será convosco."
Aquele negócio de dizer "faz o que eu mando mas não faça o que eu faço", já não funciona mais, principalmente com os filhos.
A segurança da família é responsabilidade sua (Ex 3:3)
Colocar o filho no mundo não significa ser pai ou mãe você tem que dar sustento, proteção e afeto. Isso é o básico da obrigação dos pais.

COMO PROMOVER A SEGURANÇA DA MINHA FAMÍLIA?

1) Servindo ao Senhor (Js 24:15) "Josué declara ao ao povo que ele e sua família iria servir somente a Deus."
2) Abençoando a casa de Deus (Lc 6:38) "Dai. e dar-se vos á, boa medida recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão..."
3) Amar a Deus (Rm 8:28) "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

CASAMENTO À PROVA DE FOGO

Para quem nunca assistiu eu recomendo este filme ou leia o livro.Se você já assistiu ouça a trilha sonora, com sua esposa(o), noiva(o) ou namorada(o).


Amar é um lugar
para ir e vir quando quisermos
é uma casa que entramos
e nos comprometemos nunca partir
então feche as portas atrás de você
e jogue a chave fora
vamos resolver juntos
deixe que nos faça ajoelhar

O Amor é Proteção
é uma feroz tempestade
O Amor é Paz
no meio de uma guerra
e se a gente tentar sair
que Deus manda anjos para guardar a porta
Não, o Amor não é uma Luta
mas vale a pena lutar por ele
para alguns o Amor é uma palavra
que eles podem repousar 
mas quando alguma coisa dá errado
manter a palavra é difícil

O Amor é proteção
é uma forte tempestade
O Amor é Paz
no meio da guerra
e se a gente tentar sair
que Deus manda anjos guardar a porta
Não, o Amor não é uma Luta
mas vale apena lutar por ele
O Amor nos Salvará
Se nós apenas chamarmos
ele não nos pedirá nada
mas exige tudo de nós

O Amor é proteção
é uma forte tempestade
O Amor é Paz
no meio de uma guerra
e se a gente sair que Deus manda anjos para guardar a porta
Não, o Amor não é uma Luta
Mas vale a pena lutar por ele


EU VOU LUTAR POR VOCÊ!-MAS VOCÊ LUTARIA POR MIM?MAS VALE APENA LUTAR POR ELE! (AMOR).

domingo, 8 de junho de 2014

EDIFICANDO A FAMÍLIA PARA ABENÇOAR A IGREJA

Um lar formado por duas pessoas que receberam costumes, educação, valores, crenças diferenciadas, passam assim a viver juntos e compartilhar essas diferenças tornando-os comuns aos dois. Isto não é tarefa fácil. Imagine se pensarmos em termos de igreja, de congregar um povo em que cada qual recebeu um tipo de educação, valores, crenças e etc...
"Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao Senhor. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais, porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor".
Então respondeu o povo e disse: Nunca nos aconteça que deixemos ao Senhor para servirmos a outros deuses; porque o Senhor é nosso Deus; Ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos, e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos. E o Senhor expulsou de diante de nós a todos esses povos, até ao amorreu, morador da terra; Também nós serviremos ao Senhor, porquanto é Deus Santo, é Deus Zeloso, que não perdoará a vossa transgressão nem os vossos pecados. Se deixardes ao Senhor, e servirdes a deuses estranhos, então ele se tornará, e vos fará mal, e vos consumirá, depois de vos ter feito o bem. Então disse o povo a Josué: Não, antes ao Senhor serviremos.
E Josué disse ao povo: Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes ao Senhor, para o servir. E disseram: Somos testemunhas. Deitai, pois, agora, fora aos vossos corações ao Senhor Deus de Israel. E disse o povo a Josué: Serviremos ao Senhor nosso Deus, e obedeceremos a sua voz.
Assim, naquele dia fez Josué aliança com o povo e lhe pôs por estatuto e direito em Siquém. E Josué escreveu estas palavras no livro da lei de Deus; e tomou uma grande pedra, e a erigiu ali debaixo do carvalho que estava junto ao santuário do Senhor. E disse Josué a todo o povo: Eis que esta pedra nos será por testemunho, pois ela ouviu todas as palavras, que o Senhor nos tem falado; e também será testemunho contra vós, para que não mintais a vosso Deus. Então Josué enviou o povo, cada um para a sua herança. 
E depois destas coisas sucedeu que Josué, filho de Num, servo do Senhor, faleceu, com idade de cento e dez anos. E sepultaram-no no termo de sua herança, em Timnate-Sera, que está no monte de Efraim, para o norte do monte do Gaás. Serviu, pois, Israel ao Senhor todos os dias de Josué, e que sabiam todas as obras que o Senhor tinha feito a Israel. (Josué 24:14-31).

Este texto é usado por muitos pregadores dentro das igrejas, com relação à família. Mas e daí? O que isso tem causado de mudança nas nossas casas, nosso casamento, nossos filhos?
Quais escolhas temos feito em relação a nosso compromisso com o Senhor e a igreja? Neste texto duas palavras nos chamam a atenção. As palavras são TEMER e SERVIR ao Senhor com sinceridade e verdade.

TEMER

O temor do Senhor - Isto faz diferença em nossa vida cristã, ou pelo menos, deveria fazer a diferença. Hoje muitos de nós tememos ao Senhor diante de um sermão que ouvimos, parece que vai mudar a nossa história, porém passados alguns dias, tudo volta ao normal, e o que era temor já não faz mais diferença. Quantas vezes nos pegamos dizendo que o temor do Senhor foi o que não deixou de fazer isso ou aquilo. Os pecados estão em todo o tempo nos rodeando, mas o temor do Senhor não nos deixa perder de vista a salvação ou nosso compromisso com Deus. O ímpio quer ver em nossas atitudes uma diferença, e quando isso não acontece à luz do Senhor deixa de brilhar e nós deixamos de edificar.
Devemos ter em mente o temor do Senhor em nossas vidas é o que ensinamos aos filhos que criamos hoje e que formarão a sociedade e a igreja de amanhã. Como tem sido esta formação de temor ao Senhor na vida de seus filhos. Tem sido através do seu testemunho? Lembrando que nossos filhos serão nossas cópias amanhã.

SERVIR

Quando pensamos na palavra servir já nos vem a mente serviço na igreja, pois o Pastor está vendo, vai dizer que sou servo fiel, que eu sou útil. Josué no Vs 14 diz: "Ser servos sinceros e fiéis". Para servir ao Senhor é preciso dispor de nosso tempo, casa, dinheiro, carro, amor, interesse e tudo o que o Senhor lhe confiou para administrar. Mas o que ocorre é que esquecemos que não somos donos é porque temos um Senhor. Quase sempre não estamos dispostos a servir, e renunciar a nossa vida.